Blog Toques & Dicas da eNT www.nadiatimm.com

Blog Toques & Dicas, seção da Revista Eletrônica Nádia Timm - eNT

16.11.05

Tecnologia brasileira para o mundo

Primeira publicação da América latina no setor, revista é lançada com sucesso no Congresso Internacional de Biodiesel, em São Paulo

Que o Brasil é o pioneiro mundial na tecnologia de produção de biodiesel não é novidade para a maioria dos especialistas do setor. O fato é que esses avanços, mostrados com riqueza de detalhes no primeiro número da Revista Biodiesel & Agronegócios, tem despertado interesse na América Latina e resto do mundo. Moral da história: a Revista Biodiesel já está consolidada com porta-voz do conhecimento brasileiro nessa área para toda a comunidade mundial.

"Já enviamos nossa revista para mais de 15 países da Europa, sem contar nossos vizinhos da América Latina e EUA", relata o editor Rogério Menani. "A meta agora é aprofundar esses contatos para que resultem em novos negócios para os parceiros do nosso empreendimento", conclui.

A Revista Biodiesel foi lançada segunda-feira, dia 8 de novembro, no Anhembi, em São Paulo, durante o Congresso Internacional de Biodiesel, organizado pelo professor da USP Dr. Miguel Dab Doub. Foram mais de 300 participantes de inúmeros países, assistindo uma grade de palestras heterogênea e democrática, que contemplou diferentes empresas, experiências e correntes tecnológicas do setor.

De acordo com o plano de mercado da nova publicação, uma de suas vantagens é a capacidade de chegar ao público específico do setor, diretamente a profissionais e empresas de alto envolvimento com o tema e que buscam informação e contatos na área.
A primeira edição da Revista Biodiesel & Agronegócios já se aprofunda nos mais variados assuntos dentro da temática da agroenergia. As novas plantas de produção, os equipamentos indicados e os profissionais que fizeram história estão contemplados nesse número.
"Há muito mais a fazer", considera Menani. "O universo da agroenergia é extenso e cheio de detalhes, que estão espalhados por todo o país. Num primeiro momento, é necessário apoio total e irrestrito de empresas, pesquisadores e órgãos governamentais, tudo para que o projeto possa funcionar e atingir seus objetivos", diz.