Blog Toques & Dicas da eNT www.nadiatimm.com

Blog Toques & Dicas, seção da Revista Eletrônica Nádia Timm - eNT

31.8.05

Furação Katrina afeta vôos: viagens são remarcadas

A operação de vôos da Continental Airlines foi afetada nos aeroportos da região sudeste dos Estados Unidos pelo furacão Katrina.

A Continental Airlines e a Continental Express cancelaram um total de 111 vôos dia 29, incluindo todos os vôos para Nova Orleans, Baton Rouge e Lafayette, em Luisiana; Móbile, no Alabama; Gulfport/Biloxi, Mississippi e Pensacola e Fort Walton Beach, na Flórida.

A Continental está monitorando o furacão Katrina e as operações normais de vôos devem voltar assim que as condições de clima e campo permitirem. No site continental.com é possível conferir relatórios sobre status de vôos em tempo real e informações climáticas.

Por conta do furacão Katrina, a Continental está oferecendo opções de re-agendamento ou mudança de rotas sem taxas adicionais para seus clientes com passagens para qualquer cidade afetada até 3 de setembro.

Os passageiros devem contatar a central de reservas da Continental (1 800 523 3273 nos Estados Unidos e 0800 702 7500 no Brasil) para ajustar ou adiar seus itinerários. As viagens devem ser remarcadas para até 10 de setembro.


Sobre a Continental

A Continental Airlines é a sexta maior companhia aérea do mundo. Junto com a Continental Express e Continental Connection, oferece mais de 3.000 saídas diárias pelas Américas, Europa e Ásia. A Continental serve 150 destinos nos EUA, 130 destinos internacionais, mais do que qualquer companhia aérea do mundo.

Aproximadamente 400 pontos adicionais ainda são servidos pela aliança SkyTeam, que inclui Aeromexico, Air France/KLM, Alitalia, CSA Czech Airlines, Delta Air Lines, Korean Air e Northwest Airlines. Com 41 mil funcionários, a companhia tem centros de distribuição de vôos em Nova York, Houston, Cleveland e Guam, e transporta cerca de 56 milhões de passageiros anualmente.

Pelo segundo ano consecutivo, a Continental foi considerada pela revista FORTUNE a “Companhia Aérea Mais Admirada do Mundo”. A empresa também ganhou prêmios importantes no 2005 OAG Airline of the Year Awards, incluindo “Companhia Aérea do Ano”, “Melhor Companhia Aérea da América do Norte“ e ”Melhor Classe Executiva”.


www.continental.com

26.8.05

Paralisia na demarcação de Terras Indígenas



Flávio Cannalonga/Greenpeace

A mobilização do Abril Indígena, ocorrida em abril deste ano, solicitou às autoridades do governo federal, em especial ao Ministro de Estado da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, providências para a conclusão dos processos administrativos para a demarcação de 14 terras indígenas que se encontravam em análise no Ministério da Justiça aguardando terem seus limites declarados para efeito de sua demarcação administrativa.

Passados três meses dessa solicitação, não houve nenhuma resposta ao nosso pleito e apenas uma Terra Indígena, Yvy Katú do povo Guarani-Nhãndeva em Mato Grosso do Sul, teve seus limites declarados. Os outros processos estão paralisados ou foram devolvidos à presidência da Fundação Nacional do Índio (Funai).

O Ministério da Justiça, ao contrário do que se espera, tem retardado as providências administrativas para a demarcação das terras indígenas, tornando prática comum a devolução dos procedimentos à Funai, como nos casos das terras Manoki (MT), Morro dos Cavalos (SC), Toldo Imbu (SC), Balaio (AM), Pitaguary (CE) e Kariri-Xokó (AL).

Como conseqüência assistimos a uma grave redução do número de expedição de Portarias Declaratórias, o pior desempenho dentre os últimos governos.Em 2005, apenas uma terra foi declarada pelo Ministério da Justiça, Yvy Katú (MS).

Além destas, outras terras estão na mesma situação. Ao todo são 29 Terras Indígenas** com procedimentos paralisados num verdadeiro limbo administrativo entre o Ministério da Justiça e a Funai. Em todos os casos o prazo fixado pelo Decreto n° 1.775/96 para o Ministro da Justiça decidir sobre a demarcação não foi cumprido.

Seguindo idêntica orientação, a Funai tem reduzido o número de Grupos Técnicos (GT) destinados à identificação e delimitação das terras indígenas bem como a publicação de resumos de relatórios de identificação.

No primeiro semestre de 2005 nenhum novo GT de identificação e delimitação de terra indígena foi criado. Apenas uma pequena terra foi delimitada, Sapotal, do povo indígena Kokama (AM). A Funai não deu seqüência a 28 estudos de identificação realizados nos dois últimos anos.

Ficaram sem seqüência também os GT’s criados para rever limites de 18 terras indígenas. Longas prorrogações de prazo para entrega de relatórios de identificação estão sendo concedidas, a exemplo das terras Tapeba (CE) prorrogada por 638 dias, Tumbalalá (BA) por 308 dias e Karitiana (RO) por 306 dias.

Frente a essa paralisia, cerca de 240 Terras Indígenas são reivindicadas pelos povos indígenas junto à Funai e aguardam para serem demarcadas. Dessas, apenas 64 tiveram seus processos administrativos para demarcação iniciados pela Funai.

Diante a tais fatos, as declarações do atual Presidente da Funai de que as demarcações de terras indígenas no Brasil estão chegando ao fim revelam-se de todo improcedentes e carregadas de conteúdo político contrário ao direito indígena à terra.

Percebe-se, porém, que esses entraves verificados nos processos administrativos para a demarcação das Terras Indígenas coincidem, na maioria esmagadora dos casos, com a pressão da base parlamentar e política de sustentação do governo no Congresso Nacional, caracterizando-se uma negociação política, sem precedentes, do direito indígena à terra.

As condutas do Ministro da Justiça e do Presidente da Funai adequam-se, assim, às preocupações do Palácio do Planalto no sentido de não contrariar interesses regionais.

Evidência desta atitude é a criação de uma inconstitucional comissão no Estado de Santa Catarina, constituída por representantes da União e do Estado, para analisar as terras a serem demarcadas, o que tem resultado na paralisia das demarcações naquele Estado.

Do mesmo modo, a moratória das demarcações de Terras Indígenas naquele Estado solicitada pelo sojicultor e governador de Mato Grosso, Blairo Maggi, também foi atendida pelo Governo Federal, e as demarcações em Mato Grosso também estão paralisadas.

Questionamentos de cunho supostamente técnicos ou diligências destinadas a esclarecimentos, suscitadas pelo Ministro da Justiça, pelo Presidente da Funai e pela Diretoria de Assuntos Fundiários do órgão, assumem caráter meramente protelatório e/ou de atendimento a interesses políticos.

A resistência a rever os limites de Terras Indígenas incorretamente demarcadas e a reconhecer os direitos à terra dos povos que reassumiram ou que estão reassumindo suas identidades étnicas caracterizam aspectos da mesma resistência político-administrativa conveniada a interesses políticos e econômicos regionais.

A politização impressa pelo Governo Federal aos procedimentos de demarcação das TIs tem sinalizado ao Poder Judiciário no sentido de assumir uma posição ideológica frente às Terras Indígenas, abrindo precedentes perigosos, como a revogação da Homologação da TI Cerro Marangatu em Mato Grosso do Sul que, antes de julgar seus fundamentos legais, visa legislar sobre a matéria.

Como conseqüências imediatas da paralisia das demarcações, constata-se o crescimento do número de conflitos pela posse nas Terras Indígenas, expondo membros de comunidades e lideranças indígenas à violência e ao extermínio, como nos assassinatos das lideranças Guajajara no Maranhão, Nhãndeva no Mato Grosso do Sul e Truká em Pernambuco.

Ao tempo em que promovem-se gigantescos saques dos recursos naturais nas Terras Indígenas, já evidentes nas terras Manoki, do povo Irantxe, e Batelão, do povo Kayabi, ambos no Estado do Mato Grosso.

A inércia, o retardamento ou mesmo a negação da garantia dos direitos constitucionais dos povos indígenas às terras que tradicionalmente ocupam consiste, assim, no principal fator de agravamento das agressões e violências contra os povos indígenas. Em 2003 foram 33 índios assassinados.Em 2004, 30 índios foram mortos. E apenas no primeiro semestre do corrente ano de 2005, foram praticados 23 homicídios contra índios no Brasil.

O Ministério da Justiça, o Departamento de Polícia Federal e os órgãos do Poder Judiciário e do Ministério Público devem atentar para a dimensão sociopolítica dos problemas resultantes das graves e tensas disputas pela posse da terra, avaliando-se criticamente caracterizações de ilícitos penais supostamente praticados por membros e lideranças dos povos indígenas nesses casos.

Diante deste contexto, o Fórum em Defesa dos Direitos Indígenas vem a público repudiar a indevida politização e respectiva paralisação da tramitação dos processos administrativos destinados à demarcação das Terras Indígenas promovida pelo Governo Federal, reiterando a reivindicação apresentada na mobilização do Abril Indígena de 2005 para que sejam concluídos os processos administrativos de demarcação de Terras Indígenas ora paralisados.

Requer-se isso não apenas para evitar perdas humanas e materiais para os povos indígenas e fazer cumprir a Constituição Federal, como também para não gerar a falsa expectativa de que as demarcações das Terras Indígenas estão chegando ao fim, expectativa extremamente prejudicial à continuidade e aplicação dos direitos territoriais indígenas.

É fundamental que os cidadãos e as cidadãs brasileiros e as entidades da sociedade civil brasileira se unam aos povos indígenas para que este cenário genocida seja imediatamente revertido na perspectiva do respeito aos direitos constitucionais dos povos indígenas no Brasil.

Brasília, 16 de agosto de 2005

*O Fórum é composto pelas entidades indígenas como a Coiab, Apoinme e CIR, e pelas entidades indigenistas como Cimi, ISA, CCPY, ABA, ANAÍ, CTI e Inesc, além da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos Indígenas. Tem também apoio da OAB e da CNBB. **São elas: Aldeia Condá/SC, Sarauá/PA, Cacique Fontoura/MT, Piaçaguera/SP, Ribeirão Silveira/SP, Cachoeirinha/MS, Baia dos Guató/MT, São Domingos do Jacapari e Estação/AM, Batelão/MT, Lãs Casas/PA, Xapecó/SC, Toldo Pinhal/SC, Matintin/AM, Potiguara de Monte Mor/PB, Tenharim Marmelos gleba B/AM, Boa Vista/PR, Taunay Ipegue/MS, Guyraroká/MS, Lagoa Encantada/CE, Arroio Corá/MS, Trombetas Mapuera/RR/AM/PA, Anaro/RR, Yvyporâ Laranjinha/PR, Xipaia/PA, Manoki/MT, Morro dos Cavalos/SC, Toldo Imbú/SC, Balaio/AM, Pitaguary/CE e Kariri Xokó/AL.

24.8.05

Encontro de Coreógrafos


Coreógrafos de diferentes regiões do Mediterrâneo e do Brasil discutem as expressões da dança contemporânea no Encontro de Coreógrafos, entre os dias 26 e 28 de agosto, no SESC Belenzinho.

O evento reúne 17 espetáculos entre eles, nove produções internacionais provenientes de diferentes regiões do mediterrâneo.

No programa, os coreógrafos convidados apresentam solos, duos e trios que mostram os caminhos mais recentes na pesquisa da linguagem da dança com o objetivo de estimular a produção contemporânea.

O evento conta com a parceria da Internacional Fabbrica for Coreographers (Itália) e o apoio do “Danças na Cidade” (Portugal). O Encontro de Coreógrafos prepara ainda um Bate Papo com coreógrafos e três workshops que discutem a produção de dança contemporânea.


Entre os destaques internacionais, a performance “Hermaphrodite” que integra a “The Beauty Series” de Apostolia Pappadamaki (Grécia) e o espetáculo "Siyala” de Emanuela Nelli & Malika El Mouradi (França/Marrocos).


Entre os coreógrafos brasileiros, Marcela Levi (Rio de Janeiro) apresenta a performance “Imagem” e Cristian Duarte (São Paulo) traz o espetáculo “Alta Necessidade”.



Bate-Papo

No dia 28, após a apresentação do último espetáculo, a Profa. Dra. Christine Greiner da Faculdade de Comunicação em Artes do Corpo – PUC/SP coordena um bate papo com todos os coreógrafos e intérpretes falam sobre seus trabalhos numa troca de experiências com o público.



Workshops

O Encontro de Coreógrafos apresenta também três workshops. No dia 26 de agosto, às 15h, o coreógrafo egípcio Ayman Al Fayat apresenta sua trajetória na dança contemporânea na Europa e no Norte da África.

Neste encontro, ele fala sobre o movimento natural, do cotidiano e suas possibilidades de trabalho e de criação.

No dia seguinte, 27 de agosto, às 15h, a italiana Marina Giovannini da Virgilio Siene Dance Company relaciona a produção artística com educação.

No dia 28, também às 15h, encerrando o programa de workshops do Encontro de Coreógrafos, o coreógrafo algeriano Tayeb Benamara apresenta resultados de pesquisa sobre a interação entre dança e ambiente dando um enfoque à linguagem contemporânea de dança de rua e break-dancing.

As inscrições são gratuitas e estão abertas a estudantes e profissionais da área de dança, sendo necessário o envio de curriculum para o e-mail encontrodecoreografos@belenzinho.sescsp.org.br. Os curriculuns serão selecionados pela equipe responsável pelo encontro.



Mostra SESC de Artes – Mediterrâneo

Evento que se tornou uma tradição no calendário cultural da cidade de São Paulo, a Mostra SESC de Artes tem como tema nessa edição o Mediterrâneo. Programado para acontecer entre os dias 18 e 28 de agosto, o evento promove o diálogo entre as diversas culturas unidas ou influenciadas por países ligados a esse mar.

Ao todo 163 grupos convidados (62 internacionais e 101 nacionais) de 18 países de três continentes (África, Ásia e Europa) apresentarão em diversas unidades SESC da Capital e Grande São Paulo. As atividades estão distribuídas nas áreas de música, dança, teatro, cinema, literatura, artes visuais, cultura digital, gastronomia, moda e o seminário internacional “Fronteiras do Mediterrâneo: Tecendo Culturas, Memórias e Identidades”.



PROGRAMAÇÃO COMPLETA



1º Encontro - Dia 26, 19h

Duração: 90min



Hermaphrodite / The Beauty Series – Apostolia Papadamaki (Grécia) - Hermaphrodite é a terceira parte de “The Beauty Series” (“As séries da beleza”), uma tetralogia que lida com exposição, protótipos e arquétipos humanos. Concepção e coreografia: Apostolia Papadamaki / Interpretação: Tasos Karachalios / Duração: 20 min



IMAGEM - Marcela Levi (Brasil – Rio de Janeiro) - Construído em colaboração com a fotógrafa Claudia Garcia, esse projeto apresenta um corpo (de mulher) superexposto, no entanto des-sexualizado. Um corpo que move e é movido através da manipulação de duas peças de roupa (um short e uma blusa) des-funcionalizadas.

Imagens e sentidos, que giram em torno de gênero e sexualidade feminina, são continuamente des-locados e/ou re-locados através do olhar do público que, ao mesmo tempo em que assiste à performance, assiste a si mesmo. Concepção e direção: Marcela Levi e Claudia Garcia / Criação e interpretação: Marcela Levi / Duração: 20 min



INSTALLED - Shani Granot (Israel)- O espetáculo questiona a relação entre corpo e espaço, a relação entre o documentado e o agora, entre fazer de conta e ser real. O vídeo é uma colagem de eventos gravados. Um diário filmado, íntimo, mas compartilhado. O palco é um espaço separado onde, assim como no vídeo, a figura se instala. Criação e Interpretação: Shani Granot / Duração: 20 min



ÀRÉBOURS 100 / Grezzo1 - Daniele Albanese (Itália) - Àrébours é um estudo sobre a relação entre movimento, sentidos, espaços e memória. Neste espetáculo, dança é uma seqüência de ações físicas destinadas a descobrir o equilíbrio certo entre sínteses, reprodução de gestos e liberdade. O trabalho define a si mesmo como um método estruturado que se move da improvisação para a fixidez de movimentos reconhecíveis, usando a fórmula da repetição. Coreografia e interpretação: Daniele Albanese / Duração: 20 min



2º Encontro - Dia 27, 17h

Duração: 180minutos



OLHOS PARA O CÉU - Raquel Pires (Brasil – Minas Gerais) - Solo que utiliza os estímulos temporais e espaciais para investigar como o corpo se adapta a situações específicas onde o limite e a transformação se fazem presentes. Dança e música se unem na busca de uma linguagem própria, revelando a condição frágil e vulnerável da existência humana. Criação e interpretação: Raquel Pires / Duração: 20 min



Som do Movimento - Frank Ejara (Brasil – São Paulo) - O espetáculo tem a intenção de levar o público a um universo imaginário, em que som e movimento se misturam e já não se sabe mais se o movimento cria o som ou o som cria o movimento. O dançarino tem o poder de manipular o som e com isso fazer sua coreografia na ausência de música propriamente dita. Concepção e interpretação: Frank Ejara / Duração: 20 min



Cantinho de Nóis - Cia. Jorge Garcia (Brasil – São Paulo) - A relação de Pernambuco com seus costumes populares somada à transformação do simples e sofrido homem do campo em artista de rua em festividades como o Cavalo Marinho e o Bumba-meu-boi são a fonte de pesquisa do trabalho. Suas festas, sua religiosidade e criatividade são traduzidas em movimentos que buscam usar elementos do folclore nordestino não como produto final, mas como componentes de uma atmosfera simples, sensual e poética. Direção: Jorge Garcia. / Com: Henrique Lima, Jorge Garcia e Marisa Bucoff. / Duração: 30 min



CHAMADA - Tayeb Benamara (Argélia) - Algumas vezes eu esqueço de onde eu venho, do que sou feito e se tenho alguma utilidade. Hoje eu guardo meu tempo para ouvir,sentir, dançar.Para estar lá, neste momento preciso e ter a consciência de ser um só no mundo, e oferecer minha presença para este vasto romance do mundo.Para dar e receber...ao mesmo tempo. Simplesmente, momentos de graça...dança. Coreografia e interpretação: Tayeb Benamara / Duração: 30 min



MOMENTS - Ayman Al Fayat (Egito) - Quando o homem está isolado por paredes construídas em volta dele ele está sozinho e se pergunta: Quem? Quando? Como? Estará ele confortável? Talvez! De qualquer maneira, existirá um conflito entre o homem e ele mesmo e o contínuo estresse diante dele para identificar seu destino e mudar sua vida e achar uma nova. Será ele capaz? E ele pensa sobre sua própria realidade e isso ocorre todo instante. Coreografia e interpretação: Ayman Al Fayat / Duração: 20 min



FIORILE – Luisa Cortesi e Massimo Barzagli (Itália) - A performance é relacionada ao trabalho pictórico do artista Massimo Barzagli, cujas pinturas são feitas usando os gestos de impressão. Flores são temas recorrentes nos seus trabalhos. A idéia de “fiorile” é de trabalhar o gesto e o contato pela dança e movimento, na transmissão das imagens de flores como produção de sentido. Coreografia e interpretação: Luisa Cortesi / Visual Artístico: Massimo Barzagli / Duração: 20 min



3mg-Gingaestética - Cia. NO AR (Brasil - Paraná) - A lógica de construção desse trabalho é a mesma de um abrigo em uma favela. Feito com pedaços de imagens arranjadas, recortadas e organizadas umas com as outras, abrigamos muitos “Brasis” e mundos temporários que se encontram em constante transformação.A ginga está dentro, entre, atrás, por baixo, acima.Ela é o labirinto que avança, longe de se chegar ao fim. Concepção, direção e coreografia: Carmen Jorge / Performers co- criadores: Weslley Soares, Carmen Jorge e Ângelo Cruz. /

Duração: 30 min



3º Encontro - dia 28, 17h

Duração: 180 min.



Alta Necessidade - Cristian Duarte (Brasil – São Paulo) - O espetáculo tem como interesse à articulação do espaço e do corpo como um organismo, sendo este visto como um sistema de partes interdependentes, responsável pela manutenção adaptativa de uma estrutura/vida. Tem como condição inicial metáforas de excesso e propõe um exagero de estímulos para investigar movimento, organização e seleção. Este solo foi desenvolvido por meio do Prêmio Estímulo do Centro Cultural São Paulo 2003. Concepção, criação e performance: Cristian Duarte / Duração: 25 min



Sexo, amor e outros acidentes - Morena Nascimento (Brasil – São Paulo) - Buscando um paralelo entre o amor e a obra de arte, sexo, amor e outros acidentes, procura discutir no corpo (um corpo de mulher) dores sem remédio. Da mesma forma que a arte, para o artista, é a solução para problemas sem solução, como diz Ferreira Gullar, o amor para o ser humano é a solução para a distância abismal que existe entre o eu e o outro. E o sexo, como a procura do encaixe perfeito, é mais uma tentativa catastrófica de “esquecermos” a nossa condição de solidão fundamental. Concepção e interpretação: Morena Nascimento / Assistência coreográfica: Paula Ferrão / Duração: 20 min

PROTECTION FORMULA - Iriz Erez (Israel) - Este trabalho solo é sobre uma mulher que tenta proteger a si mesma do exterior num sentido que se revela insuficiente. Vestida em plástico originalmente feito para proteger materiais frágeis, ela dança em silêncio usando a materialidade do som natural Esta peça solo foi feita originalmente para o “Intimadance Festival” em Tel Aviv 2003. Coreografia e Interpretação: Iris Erez / Duração: 12 minutos



SOLO EMPTY - Virgilio Sieni Dance Company (Itália) - Solo Empty, um ato de meditação no silêncio e o vazio especial simbólico de uma conflagração escondida por um monte de roupas. Mais que um evento contemporâneo, é uma evocação da vida pelas roupas. O suporte para a transfiguração é o ar. Coreografia: Virgilio Sieni e Marina Giovannini / Intérprete: Marina Giovannini / co-produção do Teatro Ponchielli Foundation of Cremona, The City of Siena e Virgilio Sieni Dance Company / Duração: 30 min



Mr. Zebra - Kleber Damáso e Letícia Ramos (Goiânia, Goiás) - Constituído de três parênteses, Mr. Zebra ou Skhízeingraph dança sobre o medo e o desejo de ser observado, estreitando a construção do movimento do corpo e do vídeo. O primeiro momento, Perseguição, é um vídeo-dança realizado na antiga Estação Ferroviária de Goiânia, sobre um estado físico alimentado por imaginários. O segundo, homônimo à coreografia, transforma este corpo em cena com urgência de liberdade, sem abdicar do desejo pelo "outro" olhar, como o da câmera, que flagra e registra.O terceiro, Lua, revela o corpo / pagina, mapeado com trechos do conto “Aventura de um Fotografo”, de Ítalo Calvino, expostos intimamente
pela filmadora que dança com a bailarina, captando imagens que são
transmitidas em tempo real. Argumentação: Letícia Ramos e Kleber Damaso
Coreografia :Kleber Damaso / Interpretação: Letícia Ramos / Duração: 12min





SIYALA – Emanuela Nelli & Malika El Mouradi (França/Marrocos) - O trabalho com as tecelãs é baseado numa tradição que está para desaparecer no Marrocos. As tecelãs tramam uma tradição oral que encontra suas linhas mágicas nos elementos abstratos que as mulheres escolheram empregar. Um grande número de elementos concorre à criação de um tapete e cada um é carregado de uma função muito importante: o lugar e a maneira de constituir um método a tecer, os materiais, as cores e os signos utilizados, a função final do tapete. A partir daí as dançarinas desenvolvem uma improvisação dançando os ritmos de tecelagem dessa região do Norte da África. Coreografia e Dança: Emanuela Nelli / Tecelagem e voz: Malika Elmouradi / Duração: 20 min





Bate Papo Encontro dos Coreógrafos

Sob a mediação da Profa. Dra. Christine Greiner, da Faculdade de Comunicação em Artes do Corpo-PUC/SP, todos os coreógrafos e intérpretes estarão falando sobre seus trabalhos numa troca de experiência entre eles e o público.

Dia 28/08, após os espetáculos



Workshops

Programa 1 -Ayman Al Fayat - Coreógrafo do Egito tem uma trajetória interessante na dança contemporânea na Europa e no Norte da África, fará um workshop sobre o movimento natural, do cotidiano e suas possibilidades de trabalho de criação contemporânea em dança. Dia 26/08, 15h.



Programa 2 - Marina Giovannini ( Virgilio Siene Dance Company) - A Cia. Virgilio Siene Danza é uma referência internacional reconhecida como uma trupe permanente na Itália de pesquisa artística contemporânea, relacionando produção, educação e residências. A coreógrafa trabalhará com a pesquisa em dança desenvolvida pela cia. Dia 27/08, 15h.



Programa 3 - Tayeb Benamara - O coreógrafo argelina, que dançou no Ballet C.de la B., criou-se na França e desenvolveu a linguagem contemporânea de dança de rua e break-dancing. Também pesquisa a interação entre dança e ambiente. Dia 28/08, 15h.



Inscrições antecipadas na unidade mediante apresentação de currículo





SESC BELENZINHO/ ENCONTRO DE COREÓGRAFOS
Av. Álvaro Ramos, 915 - Belenzinho

Tel.: 11-6602-3700 // 0800-118220 // www.sescsp.org.br



Espaço: Galpão 1 // 99 lugares

Data e horário: 26/08, 19h; 27 e 28/08, às 17h.

Ingressos: R$ 15,00 // R$ 10,00 (usuário matriculado em alguma unidade do SESC) / R$ 7,50 (trabalhador no comércio e serviços matriculado e dependentes, aposentados e estudantes com carteirinha) // Venda de ingressos antecipados: na rede SESC (todas as Unidades do SESC) // Aceitam-se cartões de crédito (todas as bandeiras) e cheques de todos os bancos



Recomendação: a partir de 16 anos

Atenção: Após o início da apresentação, não é permitida a entrada de espectadores

Acessibilidade para pessoas com necessidades especiais // Ar Condicionado



Informações sobre outras programações ligue 0800 118220 ou consulte o site: www.sescsp.org.br



Mais Informações à Imprensa:



Assessoria de Imprensa do SESC Belenzinho:

EDITOR – Edison Paes de Melo

Com Leonardo Neto ou Sylvio Novelli

Lneto@editorweb.com.br ou snovelli@editorweb.com.br

Fone: 11-3824-4200 // www.editorweb.com.br

21.8.05

Fórum da Cana-de Açúcar

A cana-de-açúcar, sua importância ambiental e social, perspectivas e exportação são os destaques do Fórum de Sustentabilidade Ambiental do Brasil (CISAM 2005), promovido pela Unesp, com apoio institucional da Associação Brasileira de Tecnologia, Meio Ambiente e Agronegócios, Pró-Terra, no dia 23 de agosto, em Jaboticabal, São Paulo.



O encontro vai reunir especialistas do setor – entre pesquisadores, juristas e profissionais da indústria – com o objetivo de avaliar, discutir e apontar as principais demandas da sociedade e do agronegócio em relação às questões ambientais, tecnologias envolvidas, além de inclusão social.



O programa inclui palestras de especialistas em meio ambiente e do setor sucroalcooleiro, como o engenheiro agrônomo Leontonio Balbo Jr., proprietário da Usina São Francisco, Dr. Antonio Fernando Pinheiro Pedro, da Pinheiro Pedro Advogados, Dr. Marcelo Schunn Diniz Junqueira da Econergy International Corporation e Dr. Warwick Manfrinato da Esalq/Usp.



Para saber mais sobre o programa do Fórum de Sustentabilidade Ambiental do Brasil, acesse http://www.funep.fcav.unesp.br/eventos/

18.8.05

Atenção bailarinos!






As inscrições para o 5º Festdança estão aberta até 26 de agosto. O evento será realizado de 14 a 18 de setembro, no Teatro Goiânia, e reunirá profissionais e estudantes de dança do Brasil e do exterior.

A novidade da edição é a categoria Júnior, para crianças a partir de sete anos. Além das apresentações competitivas também serão promovidos cursos de Ballet Clássico, Jazz, Dança Contemporânea, Sapateado e Street Dance.

As inscrições pelo correio (Instituto Passo de Arte, Rua José Bonifácio, 160, Vila Assunção, CEP: 09030, 550 - Santo André, SP). Informações: starsdance@starsdance.com.br, telefone 011-4979 5709 e www.festdanca.com.br. A promoção é do Unidança, Associação Goiana de Dança Artística e Acadêmica de Goiás, com produção da Star´s Dance.

16.8.05

Prêmio Portugal Telecom de Literatura Brasileira apresenta o Júri Nacional

A primeira fase do Prêmio Portugal Telecom de Literatura Brasileira foi concluída. Aproximadamente 300 críticos literários e professores universitários de todas as regiões do Brasil votaram cada um em cinco nomes para compor o Júri Nacional.


O Júri Nacional é composto da seguinte maneira: primeiramente foi escolhido o nome mais votado de cada uma das cinco regiões do Brasil, depois os dez nomes mais votados, independente de suas regiões. Esses quinze nomes + a Comissão Artística, que atua em todas as etapas do Prêmio, formam o Júri Nacional.



Comissão artística

Antonio Carlos Secchin

João Alexandre Barbosa

José Castello

Lourival Holanda

Wander Mello Miranda



Júri (Jurados eleitos)

Adriano Espínola

Affonso Romano Sant´Anna

Alberto da Costa e Silva

Beatriz Resende

Fábio Lucas

Flora Sussekind

Jomard Munis de Britto

Leyla Perrone Moisés

Lucila Nogueira

Lúcio Flávio Pinto

Luiz Costa Lima

Nelly Novaes Coelho

Pedro Vicente Costa Sobrinho

Regina Dalcastagné

Regina Zilberman



Na segunda fase, no dia 30 de agosto, o Júri Nacional escolherá as 10 obras finalistas e definirá os cinco jurados que, juntamente com os membros da comissão artística, irão compor o Júri Final que no dia 28 de novembro escolherá os três grandes vencedores.





Prêmio Portugal Telecom de Literatura Brasileira divulga a lista dos

20 livros mais citados pelo Júri Inicial



Além da escolha do Júri Nacional, os membros do Júri Inicial indicaram individualmente os cinco livros de criação literária que consideram os melhores de 2.004. A seguir, apresentamos a lista dos vinte livros mais citados pelo Júri Inicial. Vale frisar que esses livros não são finalistas. A lista tem apenas a intenção de mostrar a opinião desse júri de especialistas que não tem poder de classificar finalistas.



Concorrem ao prêmio, todos os livros que obedecem aos seguintes pré-requisitos: obras de criação literária (romance, contos, crônicas, poesia e dramaturgia) publicadas em 2004, editadas em língua portuguesa, de autor brasileiro e em primeira edição no Brasil.

Os vinte mais citados pelo Júri Inicial, em ordem alfabética

Aberto está o inferno – de Antonio Carlos Viana, Companhia das Letras

Arara bêbada – de Dalton Trevisan, Record

Arquitetura do arco-íris – de Cintia Moscovich, Record

Cara e coroa carinho e carão – de Glauco Mattoso, Travessa dos Editores

Cinco Marias – de Fabrício Carpinejar, Bertrand Brasil

Falso mentiroso, O – de Silviano Santiago, Editora Rocco

Fotógrafo, O – de Cristovão Tezza, Editora Rocco

Herdando uma biblioteca, de Miguel Sanches Neto, Record

Ira das águas, A – de Edla Van Steen, Global Editora

Livro de Zenóbia, O – de Maria Esther Maciel, Lamparina

Lorde – de João Gilberto Noll, Editora W11

Mistérios de Porto Alegre – de Moacyr Scliar, Artes e Ofícios

Paraísos artificiais – de Paulo Henriques Britto, Companhia das Letras

Plenilúnio – de Lêdo Ivo, TopBooks

Poemas rupestres, de Manoel de Barros, Record

Rua do mundo – de Eucanaã Ferraz, Companhia das Letras

Silêncio do delator, O – de José Nêumane Pinto, Girafa

Sob o peso das sombras – de Francisco J. C. Dantas, Planeta do Brasil

Vista do rio – de Rodrigo Lacerda, Cosac & Naify

Vozes do deserto – de Nélida Piñon, Record





Sobre o Prêmio Portugal Telecom de Literatura Brasileira



O Prêmio Portugal Telecom de Literatura Brasileira irá premiar no dia 28 de novembro de 2005 as três melhores obras de criação literária (romance, contos, crônicas, poesia e dramaturgia) publicadas em 2004, editadas em língua portuguesa, de autor brasileiro e em primeira edição no Brasil.



Os vencedores recebem R$ 100, R$ 35 e R$ 15 mil, respectivamente, primeiro, segundo e terceiro colocados, além de um troféu criado pelo artista plástico Paulo Von Poser.



No Brasil é o prêmio que concede maior valor em dinheiro aos vencedores o que, de imediato, confere a esse concurso um papel exponencial. Além disso, a sistemática de escolha, bastante democrática, impede a manipulação dos resultados, bem como a preferência por ilustres ou consagrados. Os primeiros jurados - em número elevado - elegem o júri intermediário; este, por sua vez, em voto secreto, elege o Júri Final. Assim, todas as obras publicadas no ano em questão dispõem de oportunidade igual de indicação e, ao final, chega-se a um número de finalistas efetivamente representativo da atual literatura brasileira.

11.8.05

OFICINA DE DRAMATURGIA






Dentro do Programa Cultural do SUTRI - Restaurante, Café, Livraria & Revistaria, será realizado de 13 a 17 de agosto, das 15h às 18h e de 2ª a 4ª feira, das 19h às 22h, a oficina de dramaturgia com o escritor-roteirista e dramaturgo Alcione Araújo.



Esta oficina é a primeira de uma série de sete da 2ª edição do Projeto Oficinas de Artes Cênicas promovido pela Arte Brasil Produção de Eventos, realizada por intermédio da Lei Municipal de Incentivo Fiscal à Cultura, com apoio cultural do Sutri e da Empresa Aviso Urgente.



Alcione Araújo deixou a carreira de professor universitário, pós-graduado em Filosofia, para ser escritor em tempo integral. De versatilidade singular, escreve telenovelas, ensaios literários, filosóficos e faz conferências, dá palestras e participa de debates pelo país e no exterior sobre os mais variados temas: criação artística e linguagens; dramaturgia teatral e audiovisual; literatura, filosofia, educação e cultura; ética e valores; produção cultural e diversidade cultural; comunicação e indústria de entretenimento.



Já foi premiado como dramaturgo, roteirista de cinema e concorreu como finalista do Prêmio Jabuti de literatura, com o romance “Nem mesmo todo o oceano” da Editora Record. Escreve atualmente o romance ”A prima-dona” e roteiriza um documentário sobre a cultura brasileira. Há anos trabalha no ensaio filosófico “Três damas infiéis”, sobre a palavra, a imagem e a cultura.



O encontro com Alcione Araújo será em dois momentos distintos, o primeiro será uma oficina será baseada no seminário “Duas ou três coisas que eu sei dela (Encontro sobre dramaturgia)”, o segundo momento, será promovido um Encontro com o Diretor, baseado em Encontros Práticos sobre o Espetáculo Teatral, para este encontro será selecionado um grupo de teatro local que possui um projeto real de criação de um espetáculo, sendo assessorado por Alcione Araújo. Os grupos interessados deverão se inscrever na home page: , da Arte Brasil, clicando no link “Projetos Especiais”.



O método de trabalho a ser utilizado na oficina será expositivo com exemplos extraídos dos textos de Édipo Rei, Sófocles, Hamlet, Shakespeare, Galileu Galilei, de Brecht e prático com o desenvolvimento de uma seqüência de três cenas. O conteúdo programático oferece introdução às especificidades da linguagem dramaturgia, ação dramática e ação física, estrutura da narrativa (apresentação, desenvolvimento e desfecho), personagens (construção e expressão), conflito e diálogos. O programa inclui também análise dinâmica do texto, escrita cênica, eixo da narrativa e eixo de cena, cenas decisivas, o trabalho do ator, a compreensão da personagem, as relações de cada personagem com os demais, ritmo interno e ritmo externo. A inscrições são gratuitas e as vagas limitadas, e os candidatos às mesmas deverão passar por um processo de seleção.



OFICINA DE DRAMATURGIA

Data: 13 a 17 de agosto


Horário: dias 13 e 14, das 16h às 19h (sábado e Domingo)

Dias 15 a 17, das 15h às 18h (2ª a 4ª feira)



Local: Sutri – Restaurante, Café, Livraria & Revistaria


Rua Dr. Olinto Manso Pereira, n. 1165 - Setor Sul, CEP: 74.080-100 – Goiânia – Goiás

Telefax: (62) 4013-7492

8.8.05

Bonecos gigantes nas ruas de Goiânia


Um grande cortejo percorrerá as ruas do centro de Goiânia, no dia 12 de agosto (sexta-feira), onde serão feitas apresentações de doze bonecos gigantes (daqueles do carnaval de Olinda), pernas-de-pau, artistas performáticos, mestres mamulengueiros, acompanhados de banda tradicional e uma "Cobra Alada" com quarenta metros de comprimento, que será manipulada por 40 homens.

Os participantes poderão participar da brincadeira e ajudar a movimentar o mega boneco horizontal. O objetivo da ação é interagir com o público e convidar a popoulação para o início da festa no dia seguinte, sábado, na Praça Cívica.

O desfile de bonecos gigantes pelo Projeto Sesi Bonecos, passou por algumas alterações em seu percurso. Este é o novo roteiro:




12h

- Sai da Praça Cívica, desce a Av. Goiás até Rua 4



17h30

- Parque Vaca Brava




Sobre o Sesi Bonecos do Brasil 2005


O Sesi Bonecos é um festival itinerante de teatros de bonecos promovido pelo Sesi. Este é o segundo ano do evento, que em 2004 foi realizado em todos os estados do Nordeste do Brasil, atingindo um público de mais de 240 mil pessoas. O Festival reúne companhias de cerca de 15 estados brasileiros, levando ao público, cenografia ao ar-livre, feira temática, exposições, performances, oficina temática, ateliê ao vivo e shows.

O Sesi Bonecos do Brasil reúne as verdadeiras relíquias da tradição bonequeira e os seus mais respeitados artesãos, num projeto itinerante que está percorrendo as principais cidades brasileiras realizando oficinas, shows multiculturais com artistas consagrados, cenografia temática, exposições, performances de Mestres Mamulengueiros e desfiles de bonecos gigantes. Toda a programação é gratuita.

5.8.05

Curso CLÁSSICOS DO TEATRO

Módulos: inicial, avançado e profissional

- Inicial (quartas, das 19 às 20:30h):
Oficina de formação, desenvolvimento e manutenção de atores, em atividade contínua

- Avançado (quartas, das 20h30 às 22h e sextas, das 18h às 20h):
Estudo cênico de Antígona, de Sófocles, aberto aos interessados dos outros módulos - experimentação de resultados cênicos com a vivência do público na apresentação da montagem em dezembro de 2005

- Profissional:
Restrito ao núcleo formado no decorrer dos estudos, é voltado para a produção, montagem, difusão dos estudos cênicos e realização da temporada teatral do espetáculo.



CLÁSSICOS DO TEATRO - Curso de interpretação cênica Com Mariozinho Telles e Maria Rita Rezende Casa de Cultura Laura Alvim - Rio de Janeiro Av. Vieira Souto, 176. Mensalidade: R$130,00

Contatos:
http://ig.artes.com/homem/class_img.htm

Maria Rita Rezende
21.2256-0930; 9877-2916; 9649-7326
teatro@artes.com

2.8.05

Campanha de prevenção de incêndios em vegetação

Foi lançada na manhã de hoje, no posto da Polícia Rodoviária Federal da BR-060, saída para Anápolis, a Campanha de Prevenção de Incêndios em Vegetação e Combate a Queimadas, do Governo do Estado. Na ocasião, autoridades e equipes dos órgãos envolvidos distribuíram panfletos explicativos aos motoristas que transitavam pela rodovia, assistiram a uma mostra de equipamentos de combate a incêndio na vegetação e ainda participaram de uma queimada controlada às margens da BR.

O objetivo da campanha, realizada em conjunto entre a Secretaria Estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), Corpo de Bombeiros, Defesa Civil do Estado de Goiás, Batalhão da Polícia Ambiental, Polícia Rodoviária Federal e Agência Ambiental, com apoio da Federação da Agricultura do Estado de Goiás (Faeg), é o de conscientizar a população em geral para os riscos e prejuízos provocados pelas queimadas, tanto nas margens das estradas como nas áreas urbanas e rurais.

Para tanto, além da distribuição do material impresso e uma abordagem de equipes das entidades envolvidas junto aos motoristas, haverá palestras nas escolas, faculdades e sindicatos de produtores rurais. O material traz dicas e informações aos moradores das áreas urbanas e rurais, bem como a motoristas e telefones de emergências e denúncias.

O secretário do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, Aldo Arantes, observou que queimada é uma prática proibida por lei, e que só pode ser realizada com autorização do Ibama. Lembrou que a multa é de R$ 1.000 por hectare queimado em área de pastagens e de R$ 1.500 por hectare em área de mata, com valor progressivo dependendo dos danos ambientais e do prejuízo causado à fauna e à flora nestas áreas.

Disse ainda que para proteger as unidades de conservação ambiental em Goiás, os órgãos envolvidos na Campanha vão promover queimadas controladas e construir aceiros ao redor dos parques, a fim de se proteger a fauna e a flora locais.

Este ano, de maio a julho, já foram atendidas 661 ocorrências de incêndios em vegetação no Estado de Goiás, e a tendência é de que este número cresça nos meses de agosto e setembro, o pico da estiagem. Em caso de ocorrência de queimadas ou focos de incêndio, a população deve acionar o Corpo de Bombeiros pelo telefone 193 e a Defesa Civil pelo fone 199, 24 horas por dia, ou ainda pelo telefone 0800-6436-2112.

Prestigiaram o lançamento, além do secretário estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, Aldo Arantes, o major Luiz Renato Piloto Lopes, representante do comandante-geral do Corpo de Bombeiros, Uilson Alcântara Manzan, o tenente Gonzaga, da Defesa Civil e o diretor de Ecossistemas da Agência Ambiental, Paulo d´Ávila, bem como o representante da Faeg, Adilson Gonçalves.